FAIL (the browser should render some flash content, not this).



O Plano Collor I

A inflação de 1989 a março de 1990 chegou a 4.853%, e no governo anterior teve vários planos fracassados de conter a inflação. Depois de sua posse, Collor anuncia um pacote econômico no dia 15 de março de 1990, o Plano Brasil Novo.

Esse plano tinha como objetivo por fim a crise, ajustar a economia e elevar o país do terceiro para o Primeiro Mundo. O cruzado novo é substituído pelo "cruzeiro", bloqueia por 18 meses os saldos das contas correntes, cadernetas de poupança e demais investimentos superiores a Cr$ 50.000,00. Os preços foram tabelados e depois liberados gradualmente. Os salários foram pré-fixados e depois negociados entre patrões e empregados. Os impostos e tarifas aumentaram e foram criados outros tributos, são suspensos os incentivos fiscais não garantidos pela Constituição. É Anunciado corte nos gastos públicos, também se reduz a máquina do Estado com a demissão de funcionários e privatização de empresas estatais. O plano também prevê a abertura do mercado interno, com a redução gradativa das alíquotas de importação.

O Plano Collor I proporcionou enormes desajustes às cadernetas de poupança. Em maio de 1990, data em que se completou o período aquisitivo dos rendimentos sobre os valores depositados em abril de 1990, os Bancos não promoveram o crédito referente à correção monetária, no percentual de 44,80%.

e-mail: info@lk.adv.br



Fale Conosco

Marque sua consulta ou tire suas dúvidas aqui.

saiba mais

O Plano Collor II

Saiba mais sobre o índice de 21,87% a ser pleiteado.

saiba mais

Solicitação dos Extratos

Imprima e protocole no seu banco.

saiba mais

Copyright 2000 - 2009 © Lundgren Corp | Política de Privacidade |